Calibragem de pneus. Segurança e economia de combustível.

Mulher calibrando pneus do carro

De acordo com um estudo realizado pela Michelin, cerca de 50% dos carros rodam pelas estradas brasileiras com os pneus descalibrados, sendo que, destes, 20% são considerados casos perigosos.

Além do risco de acidentes, a falta de calibragem de pneus também pode significar um aumento no consumo de combustível de até 25% e gerar desgaste prematuro nos pneus – prejuízos demais para uma tarefa tão simples e que deveria ser rotineira. Mas a questão é:

Você sabe qual a periodicidade com que os pneus devem ser calibrados? E se sabe, você conhece a pressão correta dos pneus do seu carro?

Onde encontrar o número exato para Calibragem de Pneus do meu Carro?

A melhor forma de responder a essas perguntas é consultando o manual do proprietário, onde o fabricante indica a pressão correta para aquele tipo de pneu que é usado no modelo do seu carro e a frequência com que deve ser feita. Por lá, você certamente vai encontrar a calibragem correta dos pneus do seu carro.

No entanto se você estiver na rua, sem acesso à internet e sem o manual no carro, outra forma de saber a pressão correta é consultando o selo com estas informações que normalmente é colocado na parte interna da porta, próximo ao pilar de segurança, visível apenas quando elas estão abertas, na parte interna do para-sol, ou ainda na tampinha de abertura do tanque de gasolina.

Ao contrário do que muita gente imagina, a calibragem não é a mesma para todos os carros porque cada modelo tem parâmetros de segurança diferentes, que variam em relação ao peso, aerodinâmica, largura do chassis, etc.

De uma forma geral, pelo menos a cada 15 dias os pneus devem ser calibrados, mas o ideal é que a checagem seja feita semanalmente.  Entre em contato com o seu seguro auto. Eles também podem te ajudar fazendo a melhor indicação.

Há vários fatores que podem fazer com que o pneu esvazie lentamente, como:

  • pequenos furos,
  • válvula defeituosa ou perda da tampinha da válvula,
  • pequenos defeitos na roda causados por impactos em meios-fios,
  • e até a própria porosidade da borracha:

Mesmo que o pneu seja novo com o passar do tempo a borracha pode ressecar e deixar o ar passar lentamente. Por isso, procure fazer uma verificação semanal para manter os pneus sempre com a pressão adequada e evitar que a diferença aumente.

Pneus devem estar frios para fazer a calibragem

Normalmente você calibra os pneus quando vai colocar combustível, certo? E nem sempre isso acontece no posto de gasolina mais próximo da sua casa ou da saída do seu trabalho. O que acontece é que para a calibragem ficar correta os pneus devem estar frios, ou seja, ela deve ser feita dentro de um percurso máximo de 1 Km.

Se isso não for possível e você tiver que calibrar com os pneus aquecidos, é preciso acrescentar 4 libras (psi) à pressão  indicada pelo fabricante, porque já há uma pressão interna causada pelo ar quente circulante. Neste caso, assim que possível faça outra medição – desta vez com o pneu frio – e adeque à indicação do manual.

Atenção para as diferenças de calibragem de pneus

Para manter a segurança e o consumo adequados do carro a calibragem correta dos pneus também precisa ser adaptada a alguns fatores:

1. Calibragem de pneus – Carga

Pelo próprio manual do proprietário você vai perceber que a pressão nos pneus traseiros, por exemplo, costuma ser maior do que nos dianteiros – apesar de o motor ficar na frente. Conforme o peso, a indicação costuma ser de 2 a 3 libras a mais no conjunto traseiro, principalmente quando for pegar a estrada.

No entanto, isso não é uma regra de todos os fabricantes, a indicação varia de acordo com o peso, número de passageiros, carga transportada e a presença ou não de bagagem no bagageiro e com as próprias características de cada modelo.

2. Calibragem de pneus para cada tipo de solo

Dependendo do tipo de terreno é possível que você tenha que utilizar calibragens diferentes. A pressão mais baixa, por exemplo, é mais recomendada quando o solo for de areia ou lama, porque amplia a superfície em contato com o piso, reforçando a tração do veículo. É bom lembrar, no entanto, que os pneus sem câmara não podem rodar com pressão muito baixa porque correm o risco de serem atingidos por pedaços de madeira ou barro nas laterais, correndo o risco de desmontarem. De uma forma geral, quanto mais difícil for o terreno, menor deverá ser a pressão do pneu.

3. Riscos da calibragem de pneus inadequada

A calibragem errada pode aumentar o consumo de combustível em até 25%, de acordo com as condições do tráfego, o tipo de percurso e forma de dirigir que podem aumentar consideravelmente a resistência ao rolamento com o piso. Quando a calibragem está baixa, isso faz com que o motor seja exigido mais aumentando o consumo de combustível e gerando desgaste prematuro da carcaça do pneu, que fica mais suscetível a avarias. Já quando a calibragem é excessiva, ocorre menos aderência ao solo, comprometendo a segurança.

Para conseguir o melhor desempenho do carro é preciso fazer a calibragem indicada pelo fabricante no manual do proprietário, já que essa medida é obtida através de testes de desempenho de diversos tipos, em solos e condições diferentes de temperatura e peso suportado em cada eixo. Utilize sempre as tabelas fornecidas, aumente a vida útil dos pneus, a segurança do seu carro e a saúde do seu bolso.

Você também pode gostar de:

Saiba tudo sobre a primeira revisão de carro

Peças usadas para carros, cuidado com essa economia